Como internar contra a vontade? Dependência química

A Dependência Química muda radicalmente à vida de uma pessoa, e não somente isso, mas a vida da família também. Essa situação atinge qualquer classe social, não há diferença nenhuma, o drama é o mesmo. Alguns casos, o dependente químico consegue perceber que necessita de ajuda e por livre vontade, decide pela internação, outros somente os familiares conseguem intervir.

As substâncias psicoativas induzem os dependentes químicos a não terem mais noção de seus atos, colocando muitas vezes a sua vida em risco e até mesmo dos entes queridos, já que há um descontrole completo das ações e linhas de raciocínio. A droga afeta a mente e outras áreas também.

O dependente químico não percebe o quanto está doente e o quanto precisa de ajuda, nesse caso, é preciso fazer o uso de internação sem a permissão dele.

De acordo com a pesquisa feita pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), pelo menos 28 milhões de pessoas no Brasil possuem algum familiar que é dependente químico, um número bastante significativo e preocupante.

Diante desses fatos, vamos entender quais as principais diferenças entre os tipos de internações, que são: involuntária, compulsória e voluntária.

Leia também sobre “remoção dependente químico” involuntária, pacientes que não aceita ir para tratamento. 

Conteúdo da página:

  • Dependência Química – Internação involuntária
  • Dependência Química – Internação compulsória
  • Dependência Química – Internação voluntária
  • Dependência Química – Etapas do processo
  • Se você tem algum familiar que não aceita ajuda, procure o tratamento e encontre uma empresa de remoção.

Dependência Química – Internação involuntária

Esse tipo de internação é destinado às pessoas que estão incapacitadas de optar por um tratamento de reabilitação. A perda do controle de sua vida gera danos à saúde, a vida social, as relações familiares e profissionais, desse modo, não há outro modo, a não ser agir em prol do bem-estar do dependente químico.

Normalmente são os familiares que tomam a decisão da internação involuntária. Nesse momento, o dependente químico está escravo do vício e não consegue mais responder por si, podendo sofrer consequências gravíssimas, inclusive correndo risco de vida.

Segundo a Lei Federal Nº 13.840 de 2019, após os familiares solicitarem a internação involuntária, o Ministério Público deve ser informado, sendo necessário laudo médico psiquiatra ou de um clínico especialista na área. Um detalhe importante a ser dito é que somente pessoas com relação consanguínea, como os pais, tios, irmãos, tutores legais, avós e ainda o cônjuge, podem fazer a solicitação de uma internação involuntária.

A internação é realizada com a ajuda de uma equipe treinada para a remoção de dependentes químicos, estes devem ser muito capacitados, já que a ação de remover o paciente pode exigir maiores cuidados clínicos e apoio emocional.

Existem normas reguladoras de serviços que são essenciais para o tratamento da dependência química com a internação involuntária. Estes registros trazem segurança e tranquilidade para a família e da mesma forma para o internado, evitando futuros aborrecimentos, pois estará sendo atendido e amparado de maneira prudente e responsável.

Dependência Química – Internação compulsória

Nesse caso, quem decide se a pessoa precisa ou não da internação é o juiz, mas sobretudo, essa decisão é baseada em informações repassadas por profissionais da saúde. Compete ao médico a atividade de atestar se aquele paciente consegue ou não ter controle de seus atos.

Além dessas condições, o juiz levará em questão qual é a melhor opção de instituição para receber o futuro paciente. Para isso, é analisado toda a estrutura e segurança oferecidos pela clínica em questão. Com isso, é possível garantir:

  • Qualidade de vida
  • Segurança
  • Tratamento especializado

Dependência Química – Internação voluntária

É realizada quando a pessoa está ciente e entende a necessidade de internação. Nessas situações, a família junto com o paciente visita as instituições, a fim de conhecer as instalações e terapias, assim procurando o melhor ambiente.

Vale ressaltar que essa decisão de internação voluntária, como o próprio nome diz, cabe ao paciente fazer, essa necessidade do despertar para a recuperação do controle da própria vida, parte da necessidade do dependente químico, ou até mesmo tendo feita a escolha, sendo motivado pelos parentes.  

Depois de escolhida a clínica, o paciente segue para a realização de programas terapêuticos que auxiliam na reabilitação das drogas.

Dependência Química – Etapas do processo

Independentemente do tipo de internação, os processos que acontecem em clínicas de reabilitação são os mesmos.

Primeiro ele segue para o processo de desintoxicação do corpo. O paciente fará alguns exames para constatação dos tipos de agentes químicos que ainda estão a fazer efeito em seu corpo. Durante essa fase, o paciente ficará em observação e assim é acompanhado pelas equipes médicas. Então, ele chega ao processo de abstinência e desintoxicação.

Em um segundo momento, há um despertar para que o paciente consiga reconhecer as mudanças em seu próprio corpo, estilo de vida e saúde.

A reinserção social também é estimulada. Isso quando o paciente está apto a se reintegrar aos costumes e rotinas da sociedade. Nesse passo, o indivíduo precisa estar mais equilibrado.

Por que procurar essas alternativas?

Cada vez mais o consumo de drogas vem aumentando, e o dependente químico fica tão imerso aos efeitos da substância usada, que não consegue mais ter discernimento de seus atos, é nesses casos que o indivíduo precisa de ajuda. Como visto na matéria, existem 3 tipos de internações e cada paciente necessita de um tipo de intervenção. Seja ela por decisão familiar, judicial ou por conta própria.

Os fatos precisam ser analisados com calma e junto com equipe profissional da área da saúde, para que as melhores medidas possam ser tomadas em favor daquela vida, já que ao conviver com um usuário de drogas, toda a família acaba sendo penalizada e sofrendo junta, vivendo no medo de perder o ente querido a qualquer momento.

Se você está passando dificuldades por conta de ter um familiar fazendo uso de drogas e não sabe como agir, é bom procurar ajuda e em caso de necessidade, contar com nossa empresa que é especializada em “resgate de dependentes químicos.  

Leia também: Consiga um advogado em quem você possa confiar

Comments are closed.