A importância do controle Da diabetes em tempos de Covid-19

Como se não bastassem todas as preocupações associadas aos danos causados pelo vírus, o Covid-19 trouxe para os diabéticos uma maior preocupação com o controle da diabetes.

Embora não seja comprovada a maior probabilidade de contágio do Coronavírus pela pessoa portadora da diabetes, segundo a Associação Americana de Diabetes (ADA), as complicações decorrentes do Covid-19 podem ser agravadas se o indivíduo infectado for diabético.

Portanto, para saber como se prevenir e fazer um controle da diabetes mais eficiente no combate a esse vírus, leia atentamente esse post.

Quais motivos colocam o diabético no grupo de risco para o Covid-19?

 São dois os principais motivos que colocam o diabético no grupo de risco:

·         Maior tendência às inflamações; e

·         Excesso de glicose no sangue.

Assim sendo, essas duas características promovem o impedimento do sistema imunológico para que se comporte de maneira adequada diante de bactérias e vírus.

Há ainda outro fator que contribui de maneira significativa para a vulnerabilidade da pessoa diabética, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a demora do aparecimento dos sintomas do Covid-19, devido ao comprometimento do sistema imunológico.

Mas afinal, quais são os riscos que o diabético corre ao ser infectado pelo Coronavírus e como o controle da diabetes pode evitá-los?

Inicialmente, a alta taxa de glicose causa uma grande confusão no sistema imunológico.

Por sua vez, implica na alteração da atividade cardiovascular, impossibilitando o organismo de combater adequadamente as doenças.

Logo, esse grupo de pessoas também não consegue apresentar de forma clara os sintomas típicos da doença, como acontece com a grande maioria.

Em outras palavras, a febre, que é um dos sintomas mais evidentes para o diagnóstico da Covid-19, normalmente não é apresentada pelo diabético, por isso, a doença tem maior propensão de agir de maneira perigosa e silenciosa.

Em contrapartida, a falta de ar é um sintoma bastante intenso, colaborando para a evolução mais rápida para a SARA, Síndrome da Angústia Respiratória Aguda.

Como fazer o controle da diabetes de maneira eficiente?

Com a finalidade de te ajudar a manter o controle da diabetes, elaboramos as seguintes dicas para que tenha uma melhor qualidade de vida e ainda diminua o risco de possíveis complicações:

1. Alimentação equilibrada

Ao manter uma alimentação equilibrada, deixando seu prato com boa variedade de verduras e legumes, frutas, e alimentos ricos em fibras, promove uma melhora no controle da diabetes, fazendo com que os valores glicêmicos se tornem adequados.

Além disso, auxilia na redução de complicações provenientes da diabetes, como doenças cardiovasculares, insuficiência renal e neuropatias.

Acima de tudo, uma dieta saudável ajuda na perda de peso, visto que a obesidade está diretamente relacionada à diabetes tipo 2.

2.  Prática de atividades físicas

Com efeito, a adoção da atividade física como hábito, seja uma atitude adequada para todas as pessoas, para o diabético, ela exerce papel fundamental para o melhor controle da diabetes.

Isso porque seus efeitos acontecem da seguinte maneira:

·       Propicia o aumento da ação da insulina;

·       O músculo consegue aumentar a capacidade de captação da glicose;

·       Menor quantidade da glicose circulante;

·       Aumentar a sensibilidade celular à insulina.

De tal forma que, como consequência, a possível diminuição de medicação hipoglicemiante, bem como o controle da diabetes de forma mais eficaz.

3.  Cuidados com a higiene bucal

Você sabia que a alta concentração da glicose, que torna o sangue mais “doce” faz com que o organismo do diabético esteja mais propício ao desenvolvimento de bactérias.

Por isso, os cuidados com a saúde bucal, que inclui não só uma boa escovação, como também o uso do fio dental e as visitas regulares ao dentista, é fundamental para a prevenção de cáries e de outras complicações.

Seguindo corretamente essas orientações, é possível evitar que restos de alimentos, juntamente com corpos estranhos, favoreçam a proliferação de bactérias.

Além das doenças bucais mais conhecidas, como a gengivite, periodontite, que na pessoa com diabetes, pode ser mais agravada se comparada a uma pessoa saudável.

Existem outras doenças da boca que são muito comuns ao diabético:

·       Halitose: a falta do controle adequado da diabetes pode fazer com que o paciente apresente esse mau hálito bem característico, em que seu odor lembra o de uma maçã podre, que pode ser causado devido a higienizada inadequada da boca.

Como também o uso de cigarro, bebida alcoólica e a boca seca proveniente da ingestão de alguns medicamentos que reduzem a produção de saliva durante o período de repouso;

·       Xerostomia: esse é o nome que se dá ao sintoma da boca seca, que está associado ao elevado consumo de água e ao grande aumento do volume de urina, que pode ser devido à descompensação da glicose.

 4. Cuidados com os pés

Outra parte do corpo que merece grande atenção são os pés, pois a perda de sensibilidade que é muito comum nos diabéticos, acontece de maneira recorrente nesses membros.

Sendo assim, cortes, rachaduras e feridas nos pés são locais de fácil instalação de fungos e bactérias, que muitas vezes podem passar despercebidos por causa da falta de sensibilidade.

A falta de cuidados com os pés, não só afeta a sua sensibilidade, como também:

·       Frequente sensação de formigamento;

·       Maior fraqueza nas pernas;

·       Sensações de agulhas e dores nos pés;

Portanto, para prevenir esses problemas, é essencial que sejam tomados os seguintes cuidados:

·       Fazer o controle da glicemia;

·       Observar atentamente os pés diariamente;

·       Manter a limpeza e hidratação;

·       Cortar as unhas pelo menos duas vezes ao mês e jamais retirar os calos:

·       Fazer uso de sapatos macios e que as meias sejam de algodão.

5. Cuidados com a visão

Sendo um dos principais sintomas do nível elevado de glicose, a vista embaçada pode persistir mesmo depois que a doença for confirmada.

Portanto, a principal orientação, caso esse problema persista, é procurar um médico, já que o recorrente excesso de açúcar no sangue pode levar ao inchaço da retina, dificultando a sua função, podendo inclusive ocasionar a perda de visão.

No entanto, se as consultas ao oftalmologista forem regulares, é possível reduzir bastantes tais riscos.

Conclusão

Em suma, muito tem se falado do quanto a pandemia causada pelo Covid-19 tem contribuindo para o agravamento ou surgimento de novas doenças.

O controle da diabetes é essencial para a melhor qualidade de vida de seus portadores, como também para evitar o surgimento das complicações.

Comments are closed.